Patrícia Donato

Patrícia Donato

O Sindetran/DF, dando continuidade na visita aos candidatos ao Palácio do Buriti, esteve na tarde do dia 25 de setembro com o candidato Ibaneis Rocha.

A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas sentadas e área interna

Na ocasião entregamos um ofício com a pauta da categoria e o candidato aceitou nosso convite de gravar um vídeo com mensagem aos nossos servidores e ao nosso Detran. Colocaremos o vídeo abaixo, informando que tivemos um problema técnico justo na parte da fala do candidato. A equipe de filmagem está recuperando o vídeo, e caso não tenhamos êxito, providenciaremos nova gravação com o candidato para a categoria.

Ibaneis Rocha fez questão de dizer que concordava com quase todos os itens de pauta. Declarou ser totalmente favorável a autonomia administrativa e financeira do Detran, que o órgão deve administrar seus recursos para cumprir seus propósitos. Disse que lutará para que os recursos da fonte 237 tenha 30% de seus recursos destinados à saúde/traumatologia e que o restante seria totalmente utilizado para educação, engenharia e fiscalização.

Declarou que deseja um Detran modelo e mais educador. Lembrou que a fiscalização de trânsito deve ser feita pelo órgão.

Informamos a falta de servidores em todas as áreas e ele disse que buscará resolver esta defasagem de pessoal. Quando colocado que não temos instalações próprias e que as unidades eram alugadas e adaptadas para o Detran, declarou ser um absurdo e que iria resolver também.

O único ponto de divergência foi o porte de arma, pois é favorável ao desarmamento da sociedade. Disse que entende a violência atual e forneceria aos agentes todo tipo de equipamentos, menos o letal.  Colocamos que esta pauta é nacional, que a luta será travada no Congresso Nacional.
Este encontro foi positivo e já solicitamos uma sabatina num eventual segundo turno.

Confira parte do vídeo da equipe Sindetran: Conforme dissemos acima, a mensagem do candidato será colocada posteriormente, após sanadas as pendências técnicas da gravação.

https://www.youtube.com/watch?v=lR4TB2dB9fA&feature=youtu.be

 A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas sentadas

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, pessoas sentadas e área interna

 A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, pessoas sentadas e área interna

 

 SINDETRAN/DF NAS ELEIÇÕES 2018INFORMAÇÃO SOBRE OS CANDIDATOS É FUNDAMENTAL PARA O DIA DO VOTO E OS 4 ANOS SEGUINTES.

Resultado de imagem para sindicato em ação

 

SINDETRAN/DF: ATENTO ÀS PROPOSTAS PARA O TRÂNSITO.

Quarta, 15 Agosto 2018 14:37

Sindetran/DF na Mídia

Estamos buscando melhorar a imagem do servidor do Detran junto a população, mostrando que nosso trabalho vai além da punição aos infratores do CTB. A Fiscalização exerce um papel importante em prevenir acidentes, salvar vidas e aplicar notificações aos que ainda insistem em descumprir as leis do trânsito. Mas é fundamental investir e valorizar os outros eixos do Detran, como a Educação de Trânsito e a Engenharia de Trânsito. Além disso, é fundamental dar suporte e condições aos servidores administrativos, para que consigam prestar um bom atendimento à população, formalizando os processos em todas as áreas do Detran e fazendo com que os objetivos e finalidades do Detran sejam atingidos por completo.

 

Diante disso buscamos algumas pautas na mídia que possam transmitir a importância de tudo que diz respeito ao trânsito. Já publicamos alguns artigos. Nesse artigo mais recente, relembramos os 20 anos do CTB, legislação importante que ainda merecem alterações para que o trânsito seja mais humano, seguro e harmônico. 

Resultado de imagem para 20 ANOS DO CTB

Confiram o artigo abaixo:

WhatsApp Image 2018 08 09 at 08.30.25

 

SINDETRAN/DF: O NOSSO ASSUNTO É TRÂNSITO, MAS NOSSA MISSÃO, ACIMA DE TUDO, É VALORIZAR E DEFENDER OS TRABALHADORES DO TRÂNSITO.

Quarta, 15 Agosto 2018 13:59

ASSEMBLEIA GERAL

O Sindetran/DF – Sindicato dos Servidores das Carreiras que Compõem os Órgãos e Entidades Executivos de Trânsito do Distrito Federal, através de seu Presidente e da Comissão Eleitoral, convoca seus filiados para a Assembléia Geral que irá aclamar a Chapa Única para dirigir esta entidade no Triênio 2018/2021. Segue abaixo a publicação oficial.
 
O processo eleitoral foi suspenso por uma decisão liminar, no processo nº 731379-50.2017.8.07.0001. Após proferida a sentença no dia 06/08/2018, pelo Juiz de Direito da 21ª Vara Cível de Brasília, este julgou improcedentes TODOS os pedidos feitos pelos autores da ação e portanto, o Poder Judiciário concluiu que todo o processo eleitoral foi realizado de forma legal, transparente e democrática, restabelecendo assim, a verdade e a justiça em sua sentença. Nada foi feito que fosse lesivo aos sindicalizados ou afetado a possibilidade de outros sindicalizados apresentarem chapa.
 
Uma vez que o impedimento não mais existe, daremos continuidade ao processo eleitoral, aclamando a chapa única. O que se espera e será cobrado é que esta nova Diretoria trabalhe com mais afinco e garra por todos os servidores dessa Autarquia. Essa esperança se tornará realidade uma vez que a Diretoria estará completa, com novos integrantes, entre servidores administrativos e da fiscalização, totalizando 11 bravos guerreiros.
 
Esclarecemos ainda que não obtivemos autorização para realizar nossa assembleia nas dependências do Detran devido ao período eleitoral e buscando sempre respeitar as normas e leis, levaremos a assembleia para um local de fácil acesso a todos.
DATA: 20/08/2018.
HORÁRIO: às 07h30min em primeira convocação com quórum estatutário e as 8h00min, em segunda convocação com qualquer número de presentes.
LOCAL: Praça dos aposentados, no Setor de Diversões Sul, CONIC, Asa Sul, Brasília-DF, próximo a CUT-Brasília e ao Hotel Nacional.
Será aclamada a única chapa inscrita no processo eleitoral regularmente convocado no dia 08/10/2017, nos classificados do jornal Correio Braziliense, pág. 14, para eleição da Diretoria Triênio 2018/2021. 
 
 
Vejam abaixo o edital da assembleia:
 
edital assembleia
 
 
SINDETRAN/DF: POR UM DETRAN FORTE, PÚBLICO E DE QUALIDADE.
Quinta, 17 Maio 2018 14:32

INVASÃO DE HACKERS

Nosso site sofreu um ataque de hacker e ficou fora do ar desde o mês de fevereiro. Estivemos buscando a solução para o problema e só agora foi possível colocá-lo no ar. Ainda não está completamente resolvido, mas já podemos visualizar e também utilizar seus serviços. 
 
  
Cientes da importância que este meio de comunicação tem para nossos filiados, pedimos desculpas pelo transtorno ocasionado pela invasão e informamos que estamos buscando uma solução que nos garanta mais segurança cibernética.
 
Novamente podemos contar com este canal de informação e nesse período de ausência, ressaltamos que não deixamos os servidores desassistidos de informação nem de comunicação.
 
 
Estivemos utilizando outras formas de disseminação das notícias e lembramos a todos que podem buscar as notícias e informações através do Facebook (www.facebook.com/sindetran), Twitter (@sindetrandf) e WhatsApp (61-996965110), inclusive recebendo "informes" na nossa lista de transmissão que também é do WhatsApp. Também temos o nosso email O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
Acesse:
www.sindetrandf.org.br 

 

 HACKER

SINDETRAN/DF: TODOS OS CANAIS ABERTOS PARA O SERVIDOR

Quinta, 11 Janeiro 2018 16:17

MAIS UM CONVÊNIO PARA OS FILIADOS

Devido a muitos pedidos dos filiados o Sindetran firmou um convenio com o Colégio ALUB que oferece os seguintes descontos:

O filiado que estiver interessado deve entrar em contato com o sindicato para retirar sua carta desconto.

Este convênio já é um grande sucesso e acreditamos que trará muitos benefícios para a família Sindetran. Procuramos sempre ofertar alguns benefícios que possam trazer ganhos para todos. A educação dos filhos sempre é uma fonte de preocupação dos pais, pensando nisso o Sindetran traz mais uma opção para seus filiados.

 

SINDETRAN: Também lutando pela educação.

Domingo, 08 Outubro 2017 14:21

COMEMORA-SE MENOS MORTOS NO TRÂNSITO

 

Correio Braziliense publicou.

Três condutores são presos em operação por dirigirem embriagados.

Domingo, 08 Outubro 2017 11:30

PORTE DE ARMA: DESEJO OU NECESSIDADE?

Durante os anos onde se trabalhou pelo porte de arma para os agentes das autoridades de trânsito (fiscais de trânsito dos Estados, Municípios e DF) muitas especulações e opiniões foram colocadas por diferentes atores da população. Após a aprovação do PLC 152/2015 no dia 27/09/2017, o Sindetran/DF vem trazer alguns esclarecimentos para todos que desejam saber antes de opinar.

O Distrito Federal teve o porte de arma autorizado por quase 20 anos e nunca houve nenhum tipo uso irregular ou indevido por parte dos Agentes de Trânsito (Ofício Corregedoria Detran/DF). Também, desde a implementação do uso das Taser, nunca houve qualquer registro de uso indevido das mesmas. Apesar de todo alarde quando o Detran/DF adquiriu as armas de choque, ficou comprovado que os servidores foram (e estão) bem capacitados e estão aptos para seu correto manuseio.

Os agentes da autoridade de trânsito já foram capacitados tanto para o uso dos equipamentos taser quanto para portar armas de fogo. São profissionais equilibrados e sempre passam por reciclagem na utilização dos instrumentos que garantem sua integridade física. Para se tornar fiscal de trânsito no Detran/DF é necessário ser aprovado em concurso público de nível superior e depois ser aprovado em curso de formação conforme disposto na  Lei Distrital nº 2.990 de 11 de junho de 2002, assim descrito:

Art. 4º O concurso público de que trata o artigo anterior será realizado em cinco etapas, compreendidas por:
I - provas escritas de conhecimentos gerais e específicos;
II - teste de avaliação Psicológica, compatível com as atribuições do cargo;
III - teste de capacidade física, compatível com as atribuições do cargo;
IVprograma de formação, mediante Curso de Formação Profissional, realizado em estabelecimento de ensino voltado para a formação policial ou em estabelecimento próprio de ensino, que atenda os requisitos mínimos de formação e treinamento técnico-operacional para o exercício da função;
V - investigação social, eliminatória, concomitante ao curso de formação profissional.
§ 1º Todas as etapas do concurso têm caráter eliminatório.
...
§ 4º Do Curso de Formação Profissional; entre outras matérias que contribuam para a qualificação técnico-profissional, constarão, obrigatoriamente, armamento e tiro, legislação penal e processual penal, legislação de trânsito, técnicas de abordagem, direção defensiva e em situação de urgência e emergência, técnicas de abordagem e condução de detidos, primeiros socorros, direitos humanos e cidadania, proteção ao meio ambiente, relacionamento interpessoal e conduta ético-profissional.

Portanto, DESDE BEM ANTES  DE 2002 o Detran/DF vem treinando e capacitando seus servidores na APCDF - Academia de Polícia Civil do DF e na Academia dos Policiais Militares. Afirmamos isto porque os cursos de formação dos concursos de 1989, 1992 e 1995 foram todos realizados na APCDF.  Agora, após a aprovação do PLC 152/2015 e posterior (acreditamos) sanção presidencial, o Detran deverá publicar normas para o porte de armas de fogo, além de que deverá promover intenso treinamento e controle de mais este instrumento de trabalho.

O Sindetran/DF estará atento e exigirá do governo uma atuação que garanta ao AFT - agente de fiscalização de trânsito, total segurança para que a arma de fogo garanta que ele volte para sua família. Assim como ele trabalha para garantir a todo motorista que volte para casa, ele também precisa voltar em segurança. Infelizmente nem sempre encontramos só cidadãos honrados no trânsito, muitas vezes nos deparamos com bandidos. Algumas vezes também nos deparamos com motoristas embriagados, descontrolados e armados, como num caso recente em Águas Claras.

É importante esclarecer a população que por trás de um volante temos pessoas que podem ser possoas de bem e simples infratores de trânsito mas também podem ser pessoas mal intencionadas e até criminosos contumazes. Numa abordagem de rotina podemos encotrar com estes bandidos e devemos estar aptos a nos defender e assim podermos continuar com a nossa missão que é preservar vidas, inclusive a nossa.

O Agente da Autoridade de Trânsito não deseja portar arma de fogo, ele necessita para garantir sua integridade física.

SINDETRAN/DF: Informar para garantir direitos

 

Domingo, 08 Outubro 2017 11:08

GESTÃO NO TRÂNSITO: INEXISTENTE

Mais uma vez estamos buscando saber a que veio a direção do Detran. O Diretor Geral ainda não mostrou a que veio. Muita conversa e pouca ação parece ser a cara desta administração.

O Sindetran/DF não consegue saber quais são os planos para o órgão, parece ser uma tônica comum a todos os Gestores do Detran. Todas as vezes que pedimos uma posição da direção sobre a qualificação do servidor, sobre os rumos da gestão para o Detran ou qualquer outra informação via ofício, só obtemos resposta evasivas. Não há planos para curto nem longo prazo. Isso justifica muita coisa. 

Aparentemente o Detran continuará sendo um órgão odiado por só punir e nada fazer para melhor atender o cidadão. Nada está acontecendo no órgão:

Passou o Maio Amarelo e o Detran/DF parece que não sabe o que isto significa e sua importância. Nenhuma campanha por parte do Detran está sendo feita, pois se está é escondida. Campanha escondida? Educação não é importante? Parece que esta gestão só se importa em arrecadar. Nada está fazendo para educar e nem para garantir o respeito aos servidores.

Este ano o Detran está comemorando 50 anos e pouco se viu sobre isto. Será que teremos que esperar o centenário para que tenhamos importância? No aniverssário de 50 anos fomos notícia com um colega baleado. A fiscalização está sendo pressionada para atuar sem o menor apoio dos nossos colegas policiais. 

A atual gestão do Detran está “jogando” os servidores na boca do lobo. A população não respeita os servidores e nem sabe da importância do trabalho dos servidores para garantir sua segurança no trânsito. Por que? Porque simplesmente a população reflete o modo como o próprio Detran trata seus servidores: máquina de gerar renda.

O Sindetran/DF não pode ficar calado diante da falta de gestão evidenciada no órgão. Verificamos muita reunião e pouco resultado. Está parecendo que a direção geral se transformou em um confessionário, onde todos falam e saem apenas com uma promessa e nada de concreto. 

 

Esta gestão está sendo um tiro no pé dos servidores! 

Entendemos que os gestores precisam comer seu kilo de sal e buscar resultados efetivos! 

Domingo, 08 Outubro 2017 10:49

DIA DE LUTA POR CRECHE

O Sindetran/DF convoca todas as suas filiadas e seus filiados para comparecerem no dia 10/10 no Caic do Areal. Neste dia o Coletivo de Mulheres da CUT fará uma atividade do Dia de Luta por Creche. A Concentração será na CUT Brasília (subsolo do Ed. Conic) às 9h.

Será feita uma panfletagem alertando a população sobre a defasagem de vagas das creches públicas e o não cumprimento do Plano Distrital de Educação pelo governo do DF. O que vem prejudicando as mulheres por não terem onde deixar seus filhos e filhas.

Haverá também coleta de assinaturas para o Projeto de Lei de Iniciativa Popular pela anulação da reforma trabalhista.

O Sindetran/DF cada vez mais engajado na luta por igualdade de condições de trabalho, vê nesta ação um importante passo no empoderamento da mulher.

Contamos com a participação de todas e todos!

creche24685760 horizontal sem emenda dos desenhos animados crianas esto em uma fileira

Domingo, 08 Outubro 2017 08:05

DEMISSÃO DE SERVIDOR EFETIVO

Na quarta-feira (04/10) a Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) do Senado aprovou com nove votos favoráveis à proposta e quatro contrários, regras para a demissão de servidor público estável por "insuficiência de desempenho", aplicáveis a todos os Poderes, nos níveis federal, estadual e municipal. A regulamentação tem por base o substitutivo apresentado pelo relator, senador Lasier Martins (PSD-RS), a projeto de lei (PLS 116/2017 – Complementar) da senadora Maria do Carmo Alves (DEM-SE). A matéria ainda passará por três comissões, a começar pela Comissão de Assuntos Sociais (CAS).

Pelo texto, o desempenho funcional dos servidores deverá ser apurado anualmente por uma comissão avaliadora e levar em conta, entre outros fatores, a produtividade e a qualidade do serviço. Deve ser garantido o direito ao contraditório e à ampla defesa.

Fatores de avaliação

De acordo com o substitutivo, a apuração do desempenho do funcionalismo deverá ser feita entre 1º de maio de um ano e 30 de abril do ano seguinte. Produtividade e qualidade serão os fatores avaliativos fixos, associados a outros cinco fatores variáveis, escolhidos em função das principais atividades exercidas pelo servidor no período. Estão listados, entre outros, “inovação, responsabilidade, capacidade de iniciativa, foco no usuário/cidadão”.

A idéia é que os fatores de avaliação fixos contribuam com até metade da nota final apurada. Os fatores variáveis deverão corresponder, cada um, a até 10% da nota. A depender da nota final, dentro de faixa de zero a dez, o desempenho funcional será conceituado dentro da seguinte escala: superação (S), igual ou superior a oito pontos; atendimento (A), igual ou superior a cinco e inferior a oito pontos; atendimento parcial (P), igual ou superior a três pontos e inferior a cinco pontos; não atendimento (N), inferior a três pontos.

Demissão

A possibilidade de demissão estará configurada, segundo o substitutivo, quando o servidor público estável obtiver conceito N (não atendimento) nas duas últimas avaliações ou não alcançar o conceito P (atendimento parcial) na média tirada nas cinco últimas avaliações. Quem discordar do conceito atribuído ao seu desempenho funcional poderá pedir reconsideração ao setor de recurso humanos dentro de dez dias de sua divulgação. A resposta terá de ser dada no mesmo prazo.

Também caberá recurso da decisão que negar, total ou parcialmente, o pedido de reconsideração. Mas essa a possibilidade só será aberta ao servidor que tiver recebido conceito P ou N. O órgão de recursos humanos terá 15 dias, prorrogáveis por igual período, para decidir sobre o recurso.

Esgotadas todas essas etapas, o servidor estável ameaçado de demissão ainda terá prazo de 15 dias para apresentar suas alegações finais à autoridade máxima da instituição onde trabalha. O substitutivo deixa claro também que a insuficiência de desempenho relacionada a problemas de saúde e psicossociais poderá dar causa à demissão, mas apenas se a falta de colaboração do servidor no cumprimento das ações de melhoria de seu desempenho não decorrer exclusivamente dessas circunstâncias.

Carreiras de Estado

Para as carreiras de Estado, ficou estipulado que a exoneração por insuficiência de desempenho de servidores vinculados a atividades exclusivas de Estado dependerá de processo administrativo específico, conduzido segundo os ritos do processo administrativo disciplinar.

Rejeição

Durante a discussão, o senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP) apresentou voto em separado pela rejeição. Justificou que sua divergência não se fundamentava na “defesa cega” de supostos privilégios dos servidores, esse um discurso de defensores do Estado mínimo e do desmonte das políticas públicas. Segundo ele, a proposta ainda motiva dúvidas tanto técnicas quando a respeito de seus objetivos.

— Há dúvidas razoáveis sobre seus fins políticos reais, direcionados, em alguma medida, a favorecer um expurgo arbitrário do serviço público, com vistas à redução do tamanho do Estado, numa perspectiva econômica ortodoxa, arcaica e, sobretudo, autoritária — sustentou.

Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), que pediu verificação de presença na votação, disse que o momento não é próprio, nem a forma do projeto serve para abrir um debate tão importante. Para ela, há o risco de se cometer inúmeras injustiças com os servidores. Lamentou que nove emendas suas tenham sido rejeitadas e a apontou hipótese de vício constitucional no projeto, pois iniciativas referentes a carreiras de servidores caberiam apenas ao Executivo.

"Meritocracia"

A senadora Ana Amélia (PP-RS) disse não associar o projeto com o fim da estabilidade, mas, sim, como defesa da “meritocracia”. Outros senadores, como Eduardo Braga (PMDB-AM), mesmo defendendo a proposta, disse que ainda há necessidade de aprimoramento, que podem ser feitos nas próximas comissões que analisarão a matéria.

O senador Armando Monteiro (PTB-PE) concordou com a tese de Braga de que o desempenho do servidor muitas vezes é prejudicado pela falta de condições de trabalho, mas disse que isso não é motivo para que não se façam avaliações de desempenho.

— É possível identificar às vezes, em precaríssimas condições materiais, servidores que se superam em meio a essas limitações e dão belos exemplos cotidianamente do seu compromisso e, verdadeiramente, daquilo que eles internalizam como sendo a sua missão — afirmou Monteiro.

A senadora Simone Tebet (PMDB-MS) votou a favor, mas também apontou a possibilidade de vício de constitucionalidade. No caso de leis complementares, que se aplicam a todos os poderes e entes federativos, ela afirmou que só é possível legislar em relação a normas gerais, e não específicas, como faz o projeto. A senadora chegou a defender o adiamento da votação para que o assunto fosse melhor estudado, mas observou que ajustes podem ainda ser feitos nas demais comissões.

Fonte: Agência Senado

O Sindetran trás estas informações para alertar os servidores do quanto nossos representantes no Congresso estão distantes da realidade do serviço público, nem se deram ao trabalho de saber que a avaliação de desempenho já é feita.

Recebemos um texto atribuído a juíza Valdete Severo da Justiça do Trabalho. Este texto levanta algumas reflexões que nos parece pertinentes.

"Esta manhã Ricardo Boechat comentou o PL 116, que facilita a demissão de servidor público por "mau desempenho"...

Mandei e-mail para ele, pedindo que reflita sobre a defesa que fez de mais essa precarização... compartilho aqui com vocês.

Caro Boechat

Escuto todas as manhãs teu programa. Sou juíza do trabalho em Porto Alegre, e Doutora em Direito do Trabalho pela USP.

Esta manhã, falastes do projeto defendido por Lasier Martins, que infelizmente foi eleito pelo meu estado.

Pois bem, gostaria de esclarecer alguns pontos importantes.

Em primeiro lugar, a lei vigente (Lei 8112) já permite a demissão do servidor que não desempenhar bem suas funções (artigos 127 e seguintes). Então, nesse aspecto, não há novidade. Os servidores também já são avaliados periodicamente.

A novidade é inserir critério subjetivo para o que será considerado “mau desempenho”, a fim de facilitar a demissão.

Note que a possibilidade de utilização de critério subjetivo permite que o administrador descarte, inclusive, o servidor que com ele não compactua em termos de ideologia política, por exemplo. Ou seja, permite que a ameaça de perda do emprego seja fator de facilitação de perseguição política e assédio moral no serviço público. E isso em uma realidade na qual já está ocorrendo sucateamento das instituições públicas, parcelamento de salários e perseguição política.

Bem sabemos do momento de exceção em que estamos vivendo.

Tu dissestes no programa de hoje que os serviços públicos muitas vezes são mal prestados. É verdade. O problema, porém, não é a garantia que os servidores têm contra a despedida. Se isso fosse verdade, os serviços de telefonia, já privatizados, seriam eficientes. Não são. Temos estruturas deficitárias, demandas em quantidade maior do que a capacidade de atendimento e tantos outros fatores que teriam de ser considerados e que impedem a análise simplista que joga a culpa sob os ombros dos servidores.

Praticamente todos os países ocidentais (todos os europeus certamente) reconhecem garantia contra a despedida para empregados de empresas privadas e estabilidade para várias categorias. Nem por isso, os serviços na Alemanha, por exemplo, são mal prestados.

Servidores não tem privilégios, tem direitos!

Direitos que deveriam ser estendidos à iniciativa privada, e não suprimidos.

Não podemos capitular diante de um discurso liberal que está rifando direitos mínimos. O mesmo já ocorreu com a reforma trabalhista, que sob falsos argumentos precariza ainda mais as condições de quem trabalha no Brasil, prejudicando com isso não apenas o trabalhador e sua família, mas também o próprio mercado interno, porque reduz consumo; o próprio estado, porque suprime base de arrecadação para a previdência.

Retirar proteção para o trabalhador servidor (que na realidade do estado que o senador Lazier representa está  tendo seus salários parcelados), privatizar, retirar direitos trabalhistas, é criar instabilidade. Ou seja, é ruim para todos.

A questão aqui não passa pela qualificação do serviço, mas pela intenção de reduzir ainda mais o número de servidores, prejudicando a prestação eficiente do serviço. 

Essa lei, se aprovada, ao lado da EC 95, implicará a completa falência dos serviços públicos que, para a realidade concreta de um número expressivo de brasileiros, é a única via para obtenção de saúde, segurança ou justiça.

A proteção contra a despedida que é direito dos servidores, atende ao interesse público, pois evita (ou tende a evitar) que esses trabalhadores atuem pressionados pelo medo da perda do trabalho, permite que se qualifiquem ao longo do tempo e lhes dá a tranquilidade para bem exercer seu mister.

Caro Boechat, em um país com tantos desempregados e miseráveis, com tão alta concentração de renda, deveríamos estar batalhando para estender aos empregados da iniciativa privada o direito de não serem despedidos, senão pelo cometimento de falta grave como, repito, já é possível hoje, pela legislação vigente, em relação aos servidores públicos.

Será que não retrocedemos o suficiente com a reforma trabalhista?

Chega de retirar direitos sociais!

O que conseguiremos com isso será a potencialização da miséria, da violência urbana, das doenças ligadas à instabilidade da vida contemporânea.

Esse discurso de retirada de direitos não promove avanço, não irá qualificar a prestação do serviço público. E não atende ao anseio da sociedade, basta ver os números da consulta pública no site do Senado (101605 contra e 34820 a favor).

Por te considerar um dos melhores comunicadores da atualidade no Brasil, te peço que reflita acerca da defesa desse projeto nefasto, cuja “propaganda” é já enganosa, pois distorce a realidade vigente. E cujas consequências atingirão, inclusive, o cidadão que busca tais serviços.

Abraço fraterno,

 

Valdete Souto Severo"

 

SINDETRAN/DF: INFORMAÇÃO É PODER

Pagina 1 de 5

Acesso Restrito aos Filiados

Acesso para os filiados do Sindetran/DF