Fábio Medeiros

Fábio Medeiros

Em 15 de Janeiro, alegando dificuldades de caixa e tentando amenizar a crise, o GDF apresentou uma alteração nas datas de pagamento do funcionalismo público. Os salários foram distribuídos em quatro parcelas dentro de cada mês. No 5º dia útil, seriam depositados R$ 9 mil líquidos para todos os servidores. Para quem ganha mais do que isso, mais R$ 2 mil entrariam no dia 15. Para os salários superiores a esse valor, mais R$ 5 mil estariam na conta no dia 24. E os vencimentos acima de R$ 15 mil seriam complementados no último dia útil do mês.

Atualmente, os servidores recebem no último dia útil do mês trabalhado — exceto os funcionários de Saúde, Educação e Segurança Pública, que ganham no quinto dia útil do mês seguinte. Um dia depois do anúncio das modificações, a procuradora Cláudia Fernanda de Oliveira Pereira, da 2ª Procuradoria do MP junto ao TCDF, entrou com uma representação contra a intenção do governador Rodrigo Rollemberg (PSB). Ela alega que a proposta fere princípios constitucionais e a Lei Orgânica do DF; também chama atenção a necessidade de atualização monetária de valores parcelados.

O Tribunal de Contas do Distrito Federal (TCDF) não atendeu ao pedido de medida cautelar, feito pelo Ministério Público de Contas (MPC), para impedir o GDF de fazer o pagamento dos servidores de forma parcelada.

A Corte, no entanto, alertou o governo a cumprir a Lei Orgânica, que diz que os vencimentos precisam ser pagos até o quinto dia útil e, em caso de atraso, deve haver correção monetária.

A decisão veio por 3 votos a 1. A relatora, conselheira Anilcéia Machado, negou o pedido de liminar e determinou apenas que o GDF cumpra a lei. Os conselheiros Paulo Tadeu e Inácio Magalhães Filho a acompanharam. Manoel de Andrade foi o voto divergente.

O Ministério Público entrou com pedido para barrar o escalonamento após protestos de servidores da saúde e da educação, que têm vencimentos do ano passado em aberto. Eles reclamam da proposta do governo, que pretende parcelar todos os pagamentos até o último dia útil de outubro.

 

FONTE: Correio Brazilense.

No dia 29/01/2015 os servidores do DETRAN - DF receberam um duro golpe moral e vergonhoso, uma ação baixa e desesperada de um servidor que, ao invés de somar em melhorias qualitativas ao órgão e a seus servidores, aproveitou-se de uma ocasião em que a imprensa do DF estaria presente e de forma pessoal, independente e voluntária, acometeu-se de incontinência pública e com isso, chamou a atenção negativa e imoral para indiretamente, atingir o DETRAN-DF. Mas ocorreu pior que isso, atingiu seu maior patrimônio: OS SERVIDORES DO DETRAN - DF!

Este servidor imoral responde a processos disciplinares motivados pelo seu próprio comportamento e não pelos fatos alegados, além de querer ser o dono da verdade e sempre sendo "do contra" tudo. Parece que o que importa para essa pessoa é criar um clima desfavorável para que os trabalhadores percam seu foco na gestão e no atendimento à população.

O SINDETRAN - DF, desde a sua fundação, sempre esteve e está aberto ao diálogo e a opiniões, críticas e sugestões, porém o que jamais aceitaremos e apoiaremos é o desrespeito com a imagem do órgão e principalmente a de seus servidores, que são trabalhadores(as) competentes, compromissados(as), pais e mães de família cientes de suas responsabilidades profissionais diante da sociedade.

O DETRAN-DF conta com servidores honrados que cumprem com zelo e probidade suas atribuições funcionais, assim como a carga horária prevista em lei e aos acordos trabalhistas. Diante do exposto, REPUDIAMOS a atitude desnecessária, desrespeitosa que visa exclusivamente promoção pessoal dessa pessoa que, lamentavelmente, não respeitou seus colegas de trabalho e nem o órgão do qual faz parte.

Muito diferente do que quer aparentar, esse servidor não sofre de problema mental, apenas se faz de coitado para que ninguém o culpe pelos seus atos. Tal situação ocorreu mais uma vez nesse lamentável episódio pois a polícia (e a segurança do TCDF) não tomaram as medidas imediatas necessárias para coibir e desmotivar tal atitude. Ou seja, ficou o precedente que qualquer pessoa que quiser expor sua "naturalidade" como veio ao mundo pode ir se manifestar no TCDF ou órgãos do GDF que será visto como ato normal sem qualquer repreensão imediata.

O Sindetran-DF não incentiva tal tipo de manifesto e caso alguém da população quiser usar as instalações do Detran como campo de nudismo saiba que o Sindetran fará os procedimentos para responsabilizar essa falta de vergonha e também cobrará ação imediata da autoridade responsável pelo espaço.

Aproveitamos para lembrar e avisar a todos os servidores, que o SINDETRAN/DF não apóia e não se responsabiliza por nenhum tipo de ato, manifestação ou protesto isolado ou em grupos, que não seja aprovado previamente pela categoria, no fórum legal, legítimo e adequado que é a ASSEMBLEIA dos servidores. 

 

SINDETRAN/DF: SEMPRE EM DEFESA DA SERIEDADE E DA JUSTIÇA!

A reportagem abaixo, extraída do portal G1, informa do julgamento que deve ocorrer na tarde dessa quinta-feira no TCDF. A matéria esclarece toda a intenção do GDF nessa medida, que atingirá todos os servidores. Precisamos ficar em estado de alerta nesse momento conturbardo de início de governo, como também atender ao chamado do sindicato. Em poucos dias, estaremos chamando a categoria para debater esses e outros temas em ASSEMBLEIA GERAL, para que possamos definir nosso posicionamento. Vejam a matéria.

 

Tribunal analisa nesta quinta proposta do GDF de parcelar salários atrasados

Tribunal de Contas pediu esclarecimentos ao governo no início da semana.
Plano também afeta pagamentos futuros de quem recebe mais de R$ 9 mil.

 

O Tribunal de Contas do Distrito Federal (TCDF) deve avaliar na tarde desta quinta-feira (29) a legalidade do plano de parcelamento de salários atrasados proposto pelo GDF como alternativa para quitar as dívidas com servidores, relativas ao ano passado. O órgão pediu mais informações ao governo antes de decidir se o pagamento parcelado é legal.

A proposta foi alvo de representação do Ministério Público e gerou protestos dos servidores da saúde e da educação, que rejeitaram a medida. Em análise na quinta-feira passada (22), o relator da representação, Manoel de Andrade, votou pela ilegalidade da proposta.

Os conselheiros Anilceia Machado e Paulo Tadeu votaram pelo pedido de esclarecimentos. Com dois membros do plenário em férias e o impedimento de voto do presidente, Renato Rainha (que só se posiciona em caso de empate), o GDF ganhou quatro dias para defender o escalonamento dos repasses.

Caso o parcelamento seja negado pela Justiça, o governo diz que algumas categorias podem deixar de receber em fevereiro.

“Se o tribunal negar, teremos que cumprir. Agora, ninguém paga sem ter dinheiro. O DF não tem Casa da Moeda, não fabrica dinheiro. Se tivermos [verba], vamos pagar. Se não tivermos, não tem como pagar”, afirmou o chefe da Casa Civil, Hélio Doyle, em coletiva nesta quarta-feira (28).

Salários parcelados

No plano apresentado pelo GDF, o parcelamento incide também sobre os vencimentos deste ano. O texto estabelece que todos os servidores recebam no quinto dia útil, mas só até o valor limite de R$ 9 mil. Quem tem vencimento acima dessa faixa recebe o "excedente" ao longo do mês, de acordo com a faixa salarial.

Segundo o governo, isso significa que 30% dos servidores não vão receber a íntegra do salário no quinto dia útil de cada mês, até a normalização das contas públicas. O calendário se aplica a toda a folha de pagamento, exceto pelos profissionais da segurança pública, que são pagos diretamente pelo Tesouro Nacional por meio do Fundo Constitucional do DF.

As parcelas excedentes seriam pagas nos dias 15, 24 e no último dia de cada mês. Segundo o GDF, as datas são estratégicas e se seguem aos dias de grandes repasses tributários da indústria e do comércio. "Nenhuma data é aleatória. Programamos tudo de acordo com a previsão de entrada de recursos", afirmou o secretário de Fazenda, Leandro Colombini, ao anunciar o plano.

Atrasos

Os salários e benefícios atrasados desde 2014 seguiriam outro cronograma de pagamento. Segundo a proposta do GDF, as férias e horas extras da Secretaria de Saúde seriam pagas com prioridade em três parcelas, nos últimos dias úteis de janeiro, fevereiro e março.

A partir de abril, também no último dia de cada mês e em três parcelas, seriam pagos os 13º salários, as gratificações e os resíduos de todas as categorias. Com isso, o GDF espera quitar todos os débitos salariais até o fim de junho, caso a proposta receba aval da Justiça.

A procuradora-geral do DF, Paola Aires Lima, defendeu a constitucionalidade do parcelamento. "A sociedade e os sindicatos realmente precisam ter segurança nos números para poderem participar desse pacto de recuperação da nossa cidade."

Antecipação e pacto

O GDF aposta na antecipação de recursos da União e em empréstimos com instituições financeiras para honrar os pagamentos previstos. No total, o governo tenta captar com urgência cerca de R$ 772 milhões que chegariam aos cofres até o fim do ano.

Nesta quarta (28), o governo afirmou que os pedidos serão enviados à Câmara Legislativa e ao governo federal na próxima segunda-feira (2), junto com o detalhamento de todas as medidas tributárias e de austeridade anunciadas no início da semana.

O chamado "Pacto por Brasília" reúne 21 medidas e promete resultar na economia de R$ 200 milhões aos cofres públicos e aumentar a arrecadação em R$ 400 milhões ainda neste ano.

Entre os pontos do plano estão a redução de cargos comissionados, o corte de gastos com carros oficiais e aluguéis de imóveis, diminuição da estrutura administrativa e fim da isenção do IPVA para carros 0 km.

FONTE: Portal G1

 

SINDETRAN/DF: O MOMENTO É DE UNIÃO E COLABORAÇÃO. 

Na tarde dessa terça-feira, dia 20 de Janeiro, às 14h no Tribunal de Justiça (TJDFT), está agendado o julgamento da ADI (Ação Direta de Inconstitucionalidade) da gratificação por apreensão de armas de fogo. 

Os servidores interessados podem participar do julgamento. Nossos advogados da Riedel Advocacia estarão presentes, para fazer os esclarecimentos necessários ao Juízo, para a boa decisão do Tribunal. Nesse processo, o Sindetran/DF também foi admitido e participa do processo como "Amicus Curiae". 

Assim que tivermos a definição desse julgamento, informaremos aos servidores. Estamos participando também da mesma forma (Amicus Curiae) em outras ações, e em breve, colocaremos mais detalhes nesse site.

 

 

SINDETRAN/DF: TRABALHO E LUTA, EM TODAS AS INSTÂNCIAS.

A CUT Brasília e os sindicatos filiados convocam toda a classe trabalhadora para ato unificado nesta sexta-feira, às 10h, na Praça do Buriti. A ação é uma resposta às decisões arbitrárias do GDF e à proposta de cronograma de pagamento dos atrasados dos servidores do governo local, apresentado nesta quinta-feira (15).

O encontro entre CUT, sindicatos e representantes do GDF, que seria realizado nesta sexta-feira (16) em forma de negociação, se transformou em coletiva de imprensa nesta quinta-feira (15) e inviabilizou qualquer tipo debate. Diante da postura unilateral, a CUT e os sindicatos filiados ampliarão a mobilização que conta com a participação não só de servidores públicos, mas da classe trabalhadora do Distrito Federal.

“Repudiamos a forma como o governo está tratando as entidades representantes dos trabalhadores. O governo não está negociando. Ele simplesmente comunica por meio da grande mídia suas decisões ao invés de respeitar as mesas de negociação. Além disso, joga a responsabilidade para a população de Brasília, alegando que o povo é o patrão dos servidores, enquanto eles, como gestores, deveriam apresentar soluções efetivas para os problemas de falta de pagamento. Como não bastasse, representantes do GDF criminalizam a classe trabalhadora quando ela utiliza instrumentos legítimos, como manifestações e greves, que buscam garantir o pagamento de salários e a manutenção de direitos”, afirma o presidente da CUT Brasília, Rodrigo Britto.

Pela proposta do GDF, os atrasados das férias seriam pagos em 3 vezes, de janeiro a março, sempre no último dia útil do mês. O 13º e a gratificação natalícia também seriam parcelados em 3 vezes, de abril a junho, pagos também no último dia útil de cada mês. Horas-extras dos servidores da saúde seriam parceladas em 2 vezes, nos últimos dias úteis de julho e agosto. E as diferenças de 13º salário, férias, licença indenizada e etc, pagas nos últimos dias úteis de setembro e outubro.

Segundo o chefe da Casa Civil do GDF, Hélio Doyle, a proposta apresentada pelo governo está aberta para negociação. Ao mesmo tempo, o governista deixou claro que o GDF não vai pagar todas as pendências de uma só vez. “Temos que considerar a realidade do caixa do GDF”, disse.

“Nossa avaliação é de que não recebemos nenhuma proposta. O que nos foi passado foi uma decisão que não contou com debate. A marca do Sinpro-DF é o diálogo, nunca nos recusamos a fazer isso. Mas este governo, ao contrário, insiste em apenas anunciar e não dialogar. A suposta proposta, que recebemos através da imprensa, é inaceitável. O governo ainda tem tempo de rever suas medidas e garantir tranquilidade para o início do ano letivo”, afirma a dirigente do Sindicato dos Professores do DF – Sinpro-DF, Rosilene Corrêa.

Sem pagamento
Embora tenha divulgado que o pagamento das rescisões dos contratos temporários de professores seria feito na noite dessa quarta-feira (14), o GDF descumpriu sua palavra. Até o momento, ainda não foi depositado o valor devido aos trabalhadores, que vão engrossar contra o governo local.

Novas datas de pagamento dos servidores
De forma arbitrária, o novo governo do DF também definiu novas datas para o pagamento dos servidores do GDF. O esquema abrange todos os servidores públicos, cargos e funções comissionados, exceto policiais civis, militares e do Corpo de Bombeiros.

Na tabela do governo, quem tem salário de até R$ 9 mil, receberá no 5º dia útil do mês. Quem tem vencimento de até R$ 11 mil, receberá os R$ 9 mil no 5º dia útil e mais R$ 2 mil no dia 15 de cada mês. Quem recebe até R$ 16 mil, terá a diferença do salário (R$ 5 mil) pago no dia 24 de cada mês.

FONTE: CUT-DF

Matéria do Correio Braziliense, Cidades página 19, dia 14/01/2015.

O Sindetran/DF parabeniza o Governo Rollemberg pela pronta correção de rumos na gestão do Detran/DF. Apontamos o equívoco das recentes nomeações e congratulamos a atitude louvável do Governo.

Para ver a matéria anterior acesse: NOMEAÇÕES DETRAN: DIGA-ME COM QUEM ANDAS...

Recebemos com grande entusiasmo o DODF (Diário Oficial do DF) que tornou sem efeito as nomeações do dia 13/01. Esperamos agora que o governo tenha o cuidado necessário com as próximas nomeações.

Os servidores do Detran estão cansados de verem “seu” órgão sem uma política de Estado. Solicitamos a atenção necessária ao Departamento de Transito. É fundamental continuarmos a ter confiança neste governo, para tanto precisamos que haja a contrapartida com demonstrações de confiabilidade e escolhas certas para melhorar o trânsito do DF.

O GDF colocou um servidor de carreira como gestor do Detran, mas precisa sinalizar que não irá sucumbir a tentação de transformá-lo num balcão de trocas políticas sem compromisso com sua real finalidade: prestar o melhor serviço à população e preservar a vida no trânsito.

O Sindetran continuará atento aos interesses dos servidores e disposto a auxiliar o GDF no que estiver ao alcance. Juntos, servidores e governo, poderemos trabalhar melhor para a população do Distrito Federal, por serviços de excelência, desburocratização e por um trânsito pacífico, seguro e eficiente.

 

SINDETRAN/DF: NOSSA BANDEIRA É O SERVIDOR PÚBLICO E A BOA GESTÃO PÚBLICA PARA O DETRAN/DF, ONDE O MAIOR BENEFICIADO SERÁ A POPULAÇÃO. 

O Sindetran expressa total apoio à Nota de Repúdio emitida pela DIRPOL e repudia as declarações que foram relatadas no Correio Brasiliense.

O fato relatado é um ato que não condiz com a postura do servidor do DETRAN, pois todos sabem de sua missão e trabalham arduamente para a redução das mortes no trânsito, para a educação da sociedade no trânsito e para o atendimento à população nas diversas áreas do Detran.

Sabemos que o anonimato é uma atitude de pessoas levianas que se escondem e se utilizam deste artifício com fins pessoais para manchar o trabalho e honra de pessoas e instituições. Com essa atitude o anônimo feriu toda a instituição do Detran e seus servidores.

Anonimato, a coragem dos covardes.

A pior praga fomentada pelo uso de redes sociais é a coragem dos covardes. Afinal, como chamar aqueles que somente se expressam fazendo uso do anonimato senão de covardes?

Tais covardes criam coragem para insultar, difamar, caluniar e expor, desde que eles mesmos não se exponham. Não numa rede social, mas isso aconteceu nessa semana com uma categoria, a de servidores do Detran.

Há anos os anônimos são responsáveis por conflitos com resultados catastróficos sobre as vítimas que ficam incapazes de se defender diretamente do ofensor. 

Dessa forma o anonimato reduz e até elimina qualquer tipo de limite.

Bom, o que resta é rogar para que o ser humano encontre limites, bem como a voz da consciência no fundo da mente que, no momento, estão tão perdidos.

Segue em anexo, a nota emitida pela DIRPOL/DETRAN/DF.

 

 

"Em virtude da divulgação da matéria exposta no dia de hoje, a Diretoria de Policiamento e Fiscalização de Trânsito vem, através desta , expor algumas considerações importantes sobre o trabalho realizado ao longo do último ano.

1) Da apuração dos dados estatísticos junto à Dirpol

Em primeiro lugar, cabe informar que, ao contrário do que é dito na matéria, todas as atividades de operação e fiscalização planejadas e executadas por esta diretoria são realizadas de acordo com os dados estatísticos levantados pela gerência de estatísticas – GEREST, demandas apresentadas pela Ouvidoria, solicitações da Secretaria de Segurança Pública, apoio a diversos eventos realizados no Distrito Federal, além de apoio a outros órgãos do GDF e do Governo Federal.

Baseado nesses dados, a Dirpol aumentou o efetivo na escala de serviço noturno de forma a permitir que as equipes pudessem realizar operações do tipo blitz com segurança e em mais de um local simultaneamente. Tal modificação se justifica, uma vez que foi verificado pela gerência de estatística que 55% dos acidentes fatais ocorriam entre os horários de 18h00 e 06h00, fato que justifica tais medidas.

 2) Da Retomada de Operações Temáticas

 A Dirpol, através da Unidade de Planejamento de Operação – UPOP, retomou no início de 2014 Operações específicas de fiscalização, como a Operação Segurança em Duas Rodas, voltadas para motociclistas e motofretistas, a Operação Segurança e Consciência, voltada para infrações de conduta como avanço sinal, uso de celular ao volante, faixa de pedestres entre outras. Dessas, destaca-se a Operação Mega Cerco que, na sua segunda edição, foi responsável por diminuir consideravelmente as mortes no trânsito no mês de dezembro de 2014, fazendo deste mês o de menor índice de acidentes e mortes no trânsito dos últimos dez anos;

3) Da Escala Prévia Semanal

Entre outras medidas adotadas por esta diretoria, foi criada, através de reuniões semanais com os chefes de Copols, a escala prévia semanal. Esse novo procedimento se caracteriza pelo envio prévio das demandas das Copols à UPOP para a confecção da escala. Assim, as Copols passaram a enviar locais e pontos de maiores riscos ao trânsito, pontos de operações, patrulhamentos e de demonstração, de forma a tornar a escala de serviço mais adequada às realidades de cada região administrativa.

4) O aumento no uso de redes sociais ao volante

Outro aspecto importante a destacar é o aumento no número de mortes causadas por desatenção ao se utilizar celular, principalmente em virtude da explosão do uso de redes sociais nesses aparelhos. Pesquisas recentes apontam que entre 2013 e 2014, cinco vezes mais brasileiros passaram a usar as redes sociais em dispositivos móveis, entre eles o WhatsApp, aplicativo feito para telefones e tablets que muitas vezes são usados na direção do veículo. Os dados são de um levantamento feito pela agência de publicidade F/Nazca com o instituto de pesquisas Datafolha.

Em resposta a esses dados estatísticos, a Dirpol realizou campanhas específicas de policiamento ao longo do ano voltadas para esse tipo de conduta, como a operação Segurança e Consciência, amplamente divulgado na mídia. Diante de tais medidas, a fiscalização aumentou em quase 70% o número de autuações de condutores que teclavam ao volante acessando aplicativos e mídias sociais de 2013 para 2014.

 5) Do aumento e distribuição do efetivo

A distribuição do novo efetivo da Dirpol foi feita após várias reuniões entre a Dirpol e os chefes das Copols, levando em consideração as demandas das quatro Áreas Integradas de Segurança Pública, as demandas da Central Integrada de Atendimento e Despacho – CIADE para cada uma dessas regiões.

Com a distribuição, foi possível levar a fiscalização de trânsito a lugares em que antes raramente se via viaturas, fazendo com que a presença do Detran se destacasse entre as instituições de Segurança Pública verificada através de freqüentes elogios pela cúpula da Secretaria.  

Com o aumento do efetivo, a Dirpol dobrou a quantidade diária de operações nas mais diversas áreas de atuação, alcançando índices inéditos de produtividade tais como autuações de alcoolemia, estacionamentos irregulares, cinto de segurança e cadeirinha, uso do celular ao volante dentre outros.

6) Do Curso de Formação dos novos Agentes de Trânsito

Diferente dos cursos de formação anteriores, o curso de formação dessa turma de novos agentes de trânsito foi realizado fora de dependências policiais e com corpo docente composto exclusivamente por agentes de trânsito nas matérias específicas de policiamento e fiscalização. Fato que demonstra total desconhecimento do suposto servidor desta autarquia sobre a formação e o comportamento dos servidores desta Diretoria de Policiamento;

7) Dos números atuais de vítimas de trânsito

De 1995 até 2014 observamos uma curva descendente e acentuada no número proporcional de mortes no trânsito em relação à frota de veículos. Naquele período, o número de vítimas de trânsito era de 14,94 mortes por grupo de 10 mil veículos. No ano de 2014, o número foi de 2,72 por grupo de 10 mil veículos. Portanto, continuamos trabalhando na intenção de baixar os números de mortes, a ponto de figurarmos pelo terceiro ano consecutivo abaixo do patamar aceitável do número de mortes no trânsito preconizado pela ONU.

Conclui-se, portanto, que as alegações apresentadas pelo suposto servidor desta autarquia são levianas e desprovidas de qualquer fundamento real ou de conhecimento das atividades desenvolvidas por esta diretoria.

Ao contrário do que apresenta a matéria, o Detran ao longo do ano apresentou números altamente satisfatórios no combate a violência de trânsito. Sobretudo, se for analisado os dados da última década sobre violência no trânsito, onde se vê uma redução de 8% no número de mortes em relação à média da última década e diminuindo em mais de 50% o número de mortes no período, se levarmos em consideração o crescimento da frota de veículos. O ano de 2014 apresentou a segunda menor quantidade de óbitos deste período.

Ressalta-se ainda a contrariedade entre a matéria e a realidade dos fatos quando se analisa um ano onde realizamos o controle de trânsito mais eficaz de todas as cidades-sedes da Copa do Mundo FIFA, recebendo destaque inclusive na imprensa internacional sobre nossa atuação.

Somos o único ente da Federação em que o número de vítimas no trânsito é considerado dentro do aceitável pela Organização das Nações Unidas. É fato que nunca estaremos satisfeitos enquanto houver mortes no trânsito em nossas vias, mas temos a certeza que realizamos um trabalho digno e honroso e, sem dúvidas, fomos capazes de preservar várias vidas, sendo essa a nossa maior missão".

 

SINDETRAN/DF: SEMPRE NA DEFESA DO DETRAN E DOS SEUS SERVIDORES. PAZ NO TRÂNSITO E PAZ NA IMPRENSA.

Todos sabem que o trânsito é um setor nevrálgico na sociedade. Ele engloba diferentes áreas: saúde, segurança, mobilidade, etc. Portanto, a fim de buscar melhorias nessas áreas faz-se necessário uma política contínua de Estado para o trânsito do DF. Quando dizemos “política de Estado” nos referimos a planos e projetos obrigatórios que visam avanços e melhorias para a população e que devem ser executados independente do gestor, o que o Distrito Federal não possui.

Todas as vezes que se colocou um Diretor-geral (DG) e Diretor-adjunto de fora dos quadros do órgão, houve descontinuidade das boas ações que estavam em curso para melhorar a prestação de serviços do órgão. Isso ocorre principalmente por desconhecimentos da estrutura, atribuições, competências e quadro de pessoal do órgão. Quando há uma política de Estado implantada (o que não temos para o trânsito do DF, repito), a troca de gestor não se processa simplesmente por um gosto pessoal, mas por mudança de visão.

Um novo Comandante precisa conhecer o órgão profundamente, suas estruturas e peculiaridades, para que possa colocar as peças certas nos lugares certos. Vivenciamos antigamente muitos desmandos e desrespeitos, tanto para com o órgão quanto para o servidor e população, pois o Detran/DF era um balcão de negócios. Essas atitudes atingem diretamente o povo porque afetam os serviços oferecidos como crescimento de filas, retrabalho e estagnação da máquina pública e essa situação não pode se repetir, a população não merece.

O Detran/DF é uma autarquia muito peculiar, nele perpassa grandes interesses políticos e econômicos. Um servidor de carreira comprometido, jamais se renderá aos interesses que não sejam exclusivamente os da sociedade. A população e os servidores não devem aceitar que o trabalho técnico seja prejudicado por interferência para apadrinhados políticos.

Sempre que há uma mudança na Direção Geral, também ocorrem mudanças na estrutura do órgão, visando atingir novas metas e prioridades. Nada mais natural, o DG deve escolher a melhor equipe de trabalho para atingir as metas do Governo. A diferença entre um DG de fora e um servidor comprometido, é que o segundo sabe que estas mudanças devem ocorrer gradualmente e com respeito. Um DG “estrangeiro” muda por mudar, ele não se importa com os diferentes problemas que possam ocorrer, só lhe interessa atender aos amigos.

Quanto mais especializado e técnico for o serviço no trânsito, melhor poderemos servir à sociedade! Este foi e sempre será o principal objetivo dos servidores e, portanto, uma bandeira defendida pelo Sindetran/DF. A interferência externa não pode afetar a política de Estado e, portanto a cidadania com primazia.

Diretor Geral e Adjunto dos quadros e autonomia para trabalhar, significa respeito, não só ao servidor como, principalmente, à sociedade e à vida!

 

SINDETRAN/DF: POR UM DETRAN DE EXCELÊNCIA PARA BRASÍLIA...

Reunidos em Plenária da CUT Brasília realizada nesta quarta-feira (7), que lotou o auditório da Central, dirigentes dos sindicatos filiados aprovaram uma agenda de atividades que vão movimentar a capital federal nos próximos dias. A primeira delas será nesta sexta-feira (9), às 10h, na Praça do Buriti, onde trabalhadores de diversas categorias, de forma unificada, cobrarão o pagamento das verbas remuneratórias e indenizatórias devidas pelo governo do Distrito Federal a servidores públicos do GDF e trabalhadores terceirizados que prestam serviços em órgão públicos locais.

De acordo com o presidente da CUT Brasília, Rodrigo Britto, “o ato de sexta-feira será o marco de diversas outras atividades que serão realizadas durante a próxima semana, caso as pendências financeiras com os trabalhadores não sejam resolvidas”.

“Os atos realizados pela CUT e sindicatos filiados a partir de sexta-feira vão mostrar para o atual governo do DF que os trabalhadores estão dispostos a lutar pelos seus direitos, e de forma solidária entre as categorias. As atividades se estenderão até o dia 15 e, caso o cenário continue o mesmo, no dia 16 de janeiro, sexta-feira da próxima semana, realizaremos o Dia Unificado de Luta da Classe Trabalhadora em Brasília”, prometeu Rodrigo Britto durante a Plenária da Central. A fala foi apoiada pelas diversas lideranças sindicais presentes à atividade.

O Sindetran/DF esteve presente nessa atividade e está acompanhando as notícias publicadas pela imprensa sobre a difícil situação financeira do GDF. Há parlamentares que apresentaram os documentos retirados do SIGGO que demonstram que o governo dispõe de dinheiro em caixa, para efetuar os pagamentos. Estamos atentos a esta situação para não sermos surpreendidos com um possível corte nos reajustes aprovados de várias carreiras para setembro e novembro de 2015.

 

SINDETRAN/DF: JUNTO COM VÁRIAS CATEGORIAS, REIVINDICANDO E BUSCANDO SOLUÇÃO PARA O PROBLEMA...

Pagina 36 de 39

Acesso Restrito aos Filiados

Acesso para os filiados do Sindetran/DF